Como funciona o FGC – Fundo Garantidor de Crédito

Garantir que seus recursos sejam preservados de forma sólida é uma das maiores preocupações hoje em dia. No meio da crise que o país enfrenta, a decisão de investir seu dinheiro precisa ser tomada com muita reflexão e bom senso.

Por isso, hoje vamos falar sobre um meio de garantir a preservação do seu crédito que ainda é pouco conhecido no meio financeiro. Esperamos que você goste de nossa abordagem sobre o FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

O post vai tratar das seguintes questões:

  • O que é o Fundo Garantidor de Crédito?
  • Qual é o funcionamento do FGC?
  • Que tipos de limites de cobertura o FGC garante?
  • Existe segurança real?
  • Quais são os tipos de investimentos cobertos pelo FGC?

Depois de ler o post, você entenderá porque o FGC se tornou uma das fontes de proteção financeira mais famosa do momento.

O que é o Fundo Garantidor de Crédito?

Graças ao Fundo Garantidor de Crédito, o dinheiro de investidores, poupadores e correntistas pode estar protegido em caso de alguns reveses financeiros inesperados. Na força do seu caráter privado, o FGC fornece a chance de recuperação de créditos e depósitos legados à instituições financeiras, caso as mesmas decretem falência, liquidação ou intervenção.

Todo o processo, realizado sem fins lucrativos, pode ser um grande alívio para quem usa seus recursos de forma conservadora, e não queria correr tantos riscos, como ocorre no caso de investimentos mais agressivos.

Como funciona o FGC?

Quem se torna um associado do Fundo Garantidor de Crédito se compromete a repassar todo mês parte do valor de suas contas para a instituição. Se ocorrer algo inesperado em sentido financeiro, o mesmo valor cobre a dívida gerada para investidores e correntistas. Mas que tipo de instituições fazem parte do corpo de associados do Fundo Garantidor de Crédito?

  • Financeiras;
  • Bancos;
  • Sociedades de crédito;
  • Associações de crédito e de poupança;
  • Bancos de desenvolvimento;
  • Companhias hipotecárias; e
  • Sociedades de crédito de imóveis.

Quais são os limites de cobertura?

Uma das maiores preocupações de quem pretende se tornar um associado do Fundo Garantidor de Crédito envolve os limites de cobertura. Quais são eles?

A base para se definir o risco de crédito são as regras da instituição que garante a proteção do mesmo. Por isso, a garantia é coberta aos seguintes tipos de investimento:

  • LCA (Letras de Crédito do Agronegócio)
  • LH (Letras Hipotecárias)
  • LCI (Letras de Crédito Imobiliário)
  • LC (Letras de Câmbio)
  • LI (Letras Imobiliárias)
  • RDB (Recibo de Depósito Bancário)
  • CDB (Certificado de Depósito Bancário)

Todos estes tipos de investimento e outras operações estão cobertos pelo FGC caso tenham lastro com emissão feito depois de 8 de março de 2012.

O limite de cobertura está ligado ao CPF, no valor de R$ 250 mil por documento, e inclui o que os investimentos renderam no período.

Se for utilizada uma conta conjunta, esse valor (de R$ 250 mil) precisa ser repartido entre os titulares da conta. Mas se houverem produtos individuais, o que vale é o valor-limite para cada CPF, mencionado antes.

Que seguranças posso esperar ter?

A resposta é sim. Veja 3 razões pelas quais se pode pensar assim com tranquilidade:

  • Quem investe no FGC aqui no Brasil pode ter mais segurança do que um investidor norte-americano. Aqui em nosso país, o FGC possui uma garantia 9 vezes mais elevada que a renda per capita. Já nos Estados Unidos a cobertura que o FDIC oferece é menos do que 5 vezes a renda per capita da população.
  • O nível internacional de segurança de fundos garantidores de crédito está na faixa dos 2%. Por outro lado, o Brasil possui um valor mais elevado, com mais de 2,6% equivalente a todos os depósitos.
  • O número de empresas e de cidadãos brasileiros elegíveis cobertos pelo Fundo Garantidor de Crédito é de quase 99,8%. Isso é incrivelmente seguro, pois significa que praticamente todos os associados estão completamente assegurados!

E agora que sabe mais a respeito do FGC, o que você ou sua empresa poderão fazer? Investimentos protegidos são amplamente procurados pela sociedade brasileira.

Que o FGC tem bases sólidas para tomarmos decisões positivas nessa direção, não se pode negar. Assim, que sua decisão possa ter a assertividade que precisa para não deixar seus recursos na mão quando possíveis reveses financeiros baterem à sua porta!

Deixe um comentário